Sinto muito

06/04/2018

Mini conto escrito por Nathaly Dantas {todos os direitos reservados} 
Você bateu a porta com toda força e nem sequer olhou para trás... Nem sequer olhou para mim, que naquele exato momento estava desabando, desabando como uma árvore, que antes estava enraizada num solo cheio de vida. Eu fui um bobo por ter te deixado partir. Eu fui um babaca por ter dito todas aquelas palavras à você.

Falei sem pensar, falei como um egoísta, que estava enxergando apenas a mim e não parei para olhar para você. Estavas ali, na minha frente, com um vestido preto de alça, acima dos joelhos e uma fita vermelha ao redor da cintura... O cabelo num bagunçado que me deixa maluco. Você me escutou atentamente em todo aquele surto, onde eu estava sendo totalmente imaturo.

Seus olhos cintilavam por causa das lágrimas que começaram a escapar de teus olhos grandes e expressivos. Sua boca se abriu como se fosse falar algo, mas nada saiu dela. Você apenas se levantou, pegou sua mochila e virou as costas para mim... A cada passo seu direcionado à porta, eu gritava interiormente para que ficasse, mas os meus pés não se moveram logo e quando desci as escadarias do apartamento, você caminhava apressadamente até o carro e vi seus ombros sacudirem levemente.

Eu feri você... Eu sei, eu sei, eu sei! Eu não deveria ter dito todas aquelas palavras tolas. Eu não deveria ter deixado você partir. Você é a pessoa que mais me compreende, que tenta todas as vezes me compreender e me enxerga além do que até eu me enxergo. Você é a pessoa mais doce, divertida, acolhedora que já tive em meus braços. Você é a pessoa mais sincera e sensível que já pude conviver. Você também é a pessoa mais teimosa quando quer, a pessoa mais indecisa - Lembra que ficamos por quase duas horas escolhendo o filme que íamos assistir no cinema? Você é perfeita para mim mesmo com todas as suas imperfeições, que me complementam, me fazem feliz e me fazem melhor.

Não sei se ainda devo te chamar assim, mas... Amor, eu sei que vacilei ao ser inflexível a respeito de largar tudo e simplesmente ir com você, sei que te chamei de egoísta e que você só estava pensando em si, mas não... Agora eu vejo que não e você tentou me explicar, mas eu não quis ouvir, só quis falar e ser compreendido, quando na verdade deveria ter baixado a bola e ter parado para ouvir você.

Amor, se passaram quatro meses e decidi escrever esta carta intencionalmente hoje, onde estaríamos completando cinco anos de namoro para dizer que sinto falta de você. Sinto falta do teu cheiro, do teu hálito, dos teus olhos inchados ao acordar e sorrir para mim. Sinto falta do teu afago, do teu colo nos meus dias de bad. Sinto falta das nossas conversas malucas e da tua voz, principalmente ao dizer que me amava infinito. Ao dizer que nos amava.

Espero que você leia esta carta e sinta o meu amor por você através destas palavras. Gostaria de te envolver em meus braços e olhar em seus olhos, de estar aí com você... Mulher forte, determinada, aventureira. É contigo que quero dividir a cama todas as manhãs, tardes, noites, todos os dias. Amor, eu sinto muito. Me perdoa? 


0










Nenhum comentário:

Postar um comentário

Que tal deixar a sua opinião registrada aqui no blog?! Nós ficamos muito felizes por saber o que você pensa e pela sua visita.
Comentários passam por moderação e são sempre respondidos! Caso queira ver a resposta, ative a notificação.