A fera e o belo

01/06/2018




Editora: Amazon
Autora: Tânia Picon
Número de páginas: 57
Sinopse: Um conto infanto-juvenil. Sempre ouvimos dizer que é necessário amar a si mesmo para podermos amar alguém. E assim é a história de Isabela. Antigamente Bela, hoje só Isa. Porque, segundo ela, ninguém com a sua aparência pode ter esse nome. Em um dia, um acidente pode mudar tudo. E algumas feridas só o tempo, ou o amor, pode curar. E em outro dia, também chuvoso, as coisas podem começar a se consertar. Basta que um desconhecido, não tão desconhecido assim no caso de Isabela, bata a sua porta. Porque a vida real pode voltar a ser cor-de-rosa também, como nos livros, se a gente se permitir.





RESENHA


Isabela estava quebrada. Isso não somente pelas marcas que ficaram em seu corpo depois daquele trágico acidente, em que ela perdeu a irmã gêmea, Luana, e o seu querido pai. Isa, não mais aceitando ser chamada de Bela, vivia trancafiada na pousada (uma grande casa que a mãe e ela moravam, transformando, então, numa pousada na colina) e odiava a ideia de ser vista por alguém, porque sabia que a reação seria de espanto e nojo.

Isa é uma moça de 19 anos e também muito antipática, pois essa foi a forma que arranjou para se proteger, mesmo que isso afetasse seu relacionamento com a mãe, que tentava de todas as formas trazer a antiga Isabela de volta, a menina sorridente e feliz de dois anos atrás.

É, eu estava habituada ao escuro. E mesmo sozinha, eu não sentia mais a necessidade de luz; porque a luz fazia com que eu enxergasse, e havia coisas que eu não queria ver. Como o meu próprio reflexo.

Porém, em um determinado dia, em que todos os hóspedes saíram da pousada e a mãe de Isa foi viajar com o namorado, a pequena ilha inundou por conta das fortes chuvas, restando apenas a pousada da colina livre das águas. E é nesse momento que a vida de Isa mudaria e se iniciaria uma nova fase para ela: a de aceitação e perdão.

Conhecemos o Adam, um jovem ator que deixou a vida agitada para cuidar do pai. Ele acabou indo para a pousada na procura de abrigo, e também com uma missão... E essa não envolvia a forte atração pela garota que usava uma touca-máscara e evitava, de todas as maneiras, mostrar o rosto. 


Esse conto é bem curtinho, mas que traz mensagens muito bonitas sobre recomeços, superação e perdão. Eu confesso que achei umas coisas bem rápidas, mas se tratando de um conto de 57 páginas, é compreensível ter uma intensidade maior. Isabela é uma personagem que eu simpatizei e entendi, porque em muitos momentos nós nos deixamos levar pela dor e pela raiva, não nos perdoando ou deixando o amor nos curar e o tempo. Adam também é um personagem bem amorzinho, e muito sábio, devo dizer. A pegada de "A bela e a fera" deixa o conto ainda mais legal e por se tratar de um tempo atual, com assuntos atuais, a história ficou bem interessante!

[...] Acho que algumas coisas devem ficar para trás. – Aquilo era um avanço e tanto para mim, e fui percebendo-o à medida que as palavras foram saindo – Nós precisamos aceitar as coisas que não podemos mudar.

A escrita da Tânia é sempre incrível, né? Então a leitura foi bem fluída e bacana. Li em ebook (kindle) e encontrei poucos erros de revisão. E essa capa?! Eu achei ela um amor!

Recomendado? Claro que sim!






1










Um comentário:

  1. Oii Ru, tudo bem?
    Tenho esse conto no kindle, mas ainda não li. Amei a sua resenha, e já estou procurando aqui no kindle para ser, ultimamente estou gostando muito de livros curtinhos. Além disso, adoro a escrita da Tânia.
    Abraços.
    Mary/Romance de época é vida!

    ResponderExcluir

Que tal deixar a sua opinião registrada aqui no blog?! Nós ficamos muito felizes por saber o que você pensa e pela sua visita.
Comentários passam por moderação e são sempre respondidos! Caso queira ver a resposta, ative a notificação.