Sob a magia do luar

03/06/2018





Editora: Amazon
Autora: Tânia Picon
Número de páginas: 109
Sinopse: Katherine Moore aprendeu a se controlar, desde pequena simulando uma calma que por dentro não sentia. Aceitou o seu destino, selado desde seu nascimento, bem como o seu compromisso de casamento, arranjado como foi no caso de seus pais. 
Até o dia em que um incidente faz com que ela não passe a ver seu futuro marido com bons olhos. Ela não o tolera, mas também se controla e não diz a ele as coisas que gostaria. Aliás, ela não diz quase nada a ele.
Então, em uma noite, antes de selar seu compromisso, Katherine resolve ir a um baile de máscaras. Sob a fantasia e sob a magia do luar, ela sente-se livre para ser ela mesma pela primeira vez em anos. O que Katherine não sabe, e que talvez demore a descobrir, é que esse baile poderá mudar tudo.


RESENHA


Katherine Moore é uma moça comum, nascida num berço de ouro e com pais que, infelizmente, não lhe davam a chance de ser quem realmente era. Ora, Kath sempre teve que 'fingir' ser uma criança sem questionamentos e quieta, coisa que não era, pois gostava de sair correndo por aí e de se divertir, mas a vida tediosa que levava sozinha, já que não tinham crianças para ela brincar, fez com que a pobre garota vivesse reclusa dentro de casa ou pelo menos a maior parte do tempo. Contudo, isso muda com a chegada e descoberta de algo curioso: um cachorrinho nada comum, e este iria, finalmente, trazer cores para os dias nublados na vida da pequena Kath.

Cores foi o nome escolhido para o pequeno cachorro que não só chegou para fazer Kath sorrir, mas também sua mãe, que sofria de enxaqueca. De certa forma, foi Cores que deixou a relação da família até mais próxima e agradável. E não só o pet veio para fazer a menina mais feliz, pois 1 ano depois uma nova família comprou a propriedade ao lado. Com Emily Morgan como vizinha, que era apenas um ano mais velha que Kath, obviamente que as duas meninas se tornariam melhores amigas!

Katherine não sabia de muitas coisas aos sete anos, mas sabia que devia obedecer aos adultos. E sabia que devia aceitar as regras ditas por eles. Assim como já sabia com quem deveria casar. Seu casamento já estava acertado desde seu nascimento, como foi no caso dos seus pais.

Quase dez anos depois, Katherine, com 17 anos, e Emily, tinham construído uma amizade muito forte, e é claro que a amiga de Kath saberia que a mesma, desde pequenina, estava prometida a um rapaz: o belo, inteligente e futuro conde de Altemberg, James.


Os dois não se conheciam realmente, pois quando o rapaz, cinco anos mais velho que Kath, visitava os Moore, ele agia de forma irritante e ignorava a pequena menina, que só queria brincar, enquanto ele queria dar de adulto! O relacionamento dos dois estava selado e nada poderia desfazê-lo, já que ambas as famílias estavam de acordo - e o pai de James era um dos melhores amigos do pai de Kath - e nem James ou Kath tinham objeções contra a união, até um certo dia...

Bom, estava na época de caçadas e os Altemberg ficariam hospedados na casa de Katherine durante uma quinzena, sendo o tempo aproveitado para que os jovens tivessem mais momentos juntos e para que James pudesse se divertir nos encontros com os mais velhos nas caçadas. Porém, uma coisa acaba acontecendo durante esse período e Katherine Moore promete a si mesma nunca mais falar com James ou mesmo perdoá-lo pelo que fez. Não podia negar-se a casar com ele, porque, além de ter sido algo planejado há anos, ela não podia fazer isso com seus pais.

Ele foi cortes e educado, mas não se dirigiu a ela de forma mais afetuosa do que fez com Emily, por exemplo. E Katherine considerou isso um despautério. Por isso, ela não se sentia mais animada por rever o seu noivo, depois de tantos anos, de que se sentira aos oito anos, quando ele acompanhava sua mãe para o chá e ela tinha vontade de chutar suas canelas. Embora, é claro, ela não fizesse isso.

Depois do acontecido, a raiva de Kath só aumentava a cada investida de James para tornar as coisas melhores, mas minha gente, esse homem não é brincadeira: ele é tudo de bom e, sinceramente? Eu me apaixonei por ele! Crush que você diz? Crush é que você tem! Ainda temos outro ponto na história: Emily ia debutar naquele ano, mas decidiu esperar pela amiga para ir aos bailes de Londres e, quem sabe, ter pretendentes. Mas, umas coisas aqui e ali, as duas acabam indo para um baile de máscaras que tanto almejavam ir juntas. E é nesse momento que Katherine e Emily se permitem: não perderiam a chance de aproveitar da melhor forma possível e ninguém iria atrapalhar! Além de que, quando batesse meia-noite, ninguém saberia que eram elas, afinal, partiriam antes disso.

Não posso contar muita coisa daqui pra frente, pois é a partir desse acontecimento - que não é grave, mas que qualquer pessoa se sentiria da forma como Kath se sentiu - que as coisas começam a se tornar cada vez mais interessantes entre o casal e também em vermos a forma como Kath começa a se permitir sentir as emoções que se obrigava a esconder, já que temos toda aquela questão da época retratada no livro, pois se passa no século 19, da mulher não poder se expressar livremente e tal, isso em relação a raiva e comportamento.


Gente do céu, é impossível não se apaixonar por essa história! Os personagens são incríveis, a construção de seus relacionamentos é muito real e não é aquela coisa forçada ou mesmo rápida. A amizade de Emily e Kath é a coisa mais linda e posso dizer que tenho amizades com tamanha confiança e amor, e traz aquela sensação massa no coração, sabe? A escrita da Tânia nunca decepciona, é como se estivéssemos lá, com os personagens e em toda a ambientação que a história se passa. Londres e mesmo os interiores se tornam lugares encantadores a cada menção!

Um ponto muito positivo nos livros de Tânia Picon, é que com poucas páginas, ela consegue desenrolar histórias cativantes e únicas, com aquela pitada deliciosa de humor e romance, além de trazer mensagens lindas sobre o amor, amizade, beleza e liberdade. Li este livro em ebook (kindle!) e encontrei poucos erros de revisão, e não tem pra onde: essa capa é simplesmente perfeita!

O romance é muito massa e James é um homem maravilhoso. Pega a dica Deus! rsrs Se você procura ou quer começar a ler romance de época, eu indico muito os livros da Tânia Picon, pois, além de incríveis, a escrita dela te prende tanto, que, você fica no dilema se quer terminar pra saber o final ou se lê feito uma tartaruga pra que não acabe! Essa dúvida cruel me persegue sempre!

Assim, furiosa com ele, ela despertou pela primeira vez o seu interesse. Suas bochechas estavam vermelhas, enquanto que ela parecia querer matá-lo. E ele, pela primeira vez, achou-a bonita.


Recomendado? Como Jane (a do filme), de Orgulho e Preconceito: mil vezes sim!






2










2 comentários:

  1. Oi Ru!

    Tudo bem? Não conhecia o livro, então suas impressões me deixaram bastante animada porque deu realmente para perceber que esta foi uma leitura para lá de empolgante para você.

    Espero conseguir conferir esta história em breve e gostar tanto quanto você Ru (o que eu acho bem provável porque pelo que li ela tem tudo que gosto!)

    Beijinhos - Jessie
    www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  2. Oii Ru.
    Acho incrível que com poucas páginas a Tânia consegue fazer histórias incríveis. Estou com esse livro no kindle para ler, mas a minha vida está uma loucura e a lista de leitura está gigante, espero conseguir ler em breve.
    Adorei sua resenha <3
    Bjs Mary
    https://romancedeepocaevida.blogspot.com

    ResponderExcluir

Que tal deixar a sua opinião registrada aqui no blog?! Nós ficamos muito felizes por saber o que você pensa e pela sua visita.
Comentários passam por moderação e são sempre respondidos! Caso queira ver a resposta, ative a notificação.